Revista Emoções - A revista do Sertão Central
Banner Topo
Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 46

Política

Sob pressão de aliados, Temer cancela agenda oficial desta quinta

O presidente Michel Temer decidiu cancelar todos os compromissos que constavam na agenda oficial nesta quinta-feira (18). Depois, ele recebeu ministros do núcleo político em seu gabinete no Palácio do Planalto.
A decisão de cancelar os compromissos foi tomada um dia após o colunista do jornal "O Globo" Lauro Jardim informar que os donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Ao chegar ao Palácio do Planalto, por volta das 8h05, o presidente tinha 18 encontros previstos na agenda. Os encontros estavam marcados para ocorrer a cada meia hora, sem intervalos nem para almoço.
Temer chegou a receber o senador Sérgio Petecão (PSD-AC). A reunião era o primeiro dos 18 compromissos e já estava prevista na quarta, antes de as primeiras informações envolvendo Temer terem sido divulgadas.

Delator diz que ajudou advogado de Lula a ocultar que Odebrecht executou reforma de sítio em Atibaia

Delator diz que comprou cofre para guardar dinheiro da obra na propriedade frequentada pela família de Lula; Instituto Lula afirmou que "o sítio não é de propriedade do ex-presidente".

O sítio está registrado em nome dos empresários Jonas Suassuna e Fernando Bittar, sócios do filho do ex-presidente, Fábio Luis Lula da Silva. No entanto, os investigadores da Lava Jato dizem que há indícios de que a propriedade pertenceria ao ex-presidente da República e de que a escritura apenas oculta o nome do verdadeiro dono.

Prefeitos pedem para STF priorizar julgamento de ações que aliviam as contas dos municípios

Prefeitos e vice-prefeitos de 15 municípios pediram na manhã desta terça-feira (31) à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, que a Corte priorize o julgamento de ações que possam dar um alívio às contas municipais. Em uma carta entregue à magistrada, os prefeitos reclamaram de dificuldades financeiras para administrar os municípios em meio à crise econômica enfrentada pelo país.

Representados pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), os gestores municipais apresentaram a Cármen Lúcia, na audiência realizada na sede do tribunal, uma agenda de 12 temas prioritários para as prefeituras que dependem de decisões do Judiciário.
Entre os assuntos destacados pelos prefeitos estão a judicialização da saúde e das vagas em creches, as ações que tratam do pagamento de precatórios e processos que irão regulamentar o acesso a depósitos judiciais.

Temer cancela ida a evento em São Paulo e se reúne com tucanos no Jaburu

Governo começa a semana sob impacto da delação de ex-executivo da Odebrecht, que relatou repasses a políticos e citou pedido de Temer.

esidente da República, Michel Temer, cancelou nesta segunda-feira (12) a participação em um evento empresarial em São Paulo e se reuniu, logo pela manhã, com políticos da cúpula do PSDB no Palácio do Jaburu, em Brasília.
Temer iria abrir o congresso anual do Movimento Falconi, às 13h, mas desistiu do compromisso. Procurada pelo G1, a Presidência não informou a justificativa para o cancelamento.
Temer ainda tem a participação confirmada para outro evento em São Paulo, às 20h30, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual paulista, em que receberá o prêmio “Líder do Brasil 2016”.
Na reunião pela manhã no Jaburu estavam presentes, além de Temer, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e o senador Aloysio Nunes (SP), líder do governo na Casa.

Eduardo Cunha é preso em Brasília por decisão de Sérgio Moro

Deputado foi levado em avião da Polícia Federal para Curitiba.
Prisão é por tempo indeterminado e referente a processo por propina.

O ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi preso nesta quarta-feira (19), em Brasília. A prisão dele é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado. A decisão foi do juiz Sérgio Moro no processo em que Cunha é acusado de receber propina de contrato de exploração de Petróleo no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.
O ex-deputado embarcou às 15h em um avião da Polícia Federal (PF) no aeroporto de Brasília com destino a Curitiba, onde ficará preso. (veja no vídeo acima) O avião chegou ao aeroporto, na Região Metropolitana de Curitiba, às 16h45. De lá, Cunha seguiu para a superintendência da PF.

Cunha diz que pode não seguir parecer técnico sobre impeachment

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta terça-feira (27) que não vai seguir, necessariamente, o parecer dos técnicos da Casa sobre os pedidos de abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.
O peemedebista reforçou que tomará uma decisão em novembro e disse que ainda não recebeu pareceres dos consultores acerca do pedido elaborado pelo fundador do PT Hélio Bicudo e o jurista Miguel Reale Junior.

“Vou receber os pareceres e vou decidir com a minha convicção. Parecer é de assessoramento, é para embasamento. Não quer dizer que eu vá seguir. Mesmo que tenha 10 pareceres de um lado não quer dizer que vou seguir", disse Cunha, que é alvo representação por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Câmara pela denúncia de que manteria contas secretas na Suíça.
"A responsabilidade é minha e a decisão é minha”, complementou o peemedebista.
Nos bastidores, parlamentares defensores da abertura do processo de afastamento de Dilma reclamam da demora de Cunha em decidir sobre os pedidos. Eles afirmam que o peemedebista estaria ensaiando uma aproximação com o governo para garantir a manutenção de seu mandato parlamentar. Processo por quebra de decoro pode resultar em sanções como censura, advertência e perda do mandato.
Na semana passada, a oposição protocolou novo pedido de impeachment elaborado por Bicudo, para incluir documentos que comprovariam a continuidade, em 2015, das “pedaladas fiscais”, como é chamada a prática de atrasar repasses a bancos públicos a fim de cumprir as metas parciais da previsão orçamentária.
Inicialmente, a oposição planejava fazer um aditamento a um pedido já existente – que já tramita na Câmara e está pendente de análise de Cunha. Os parlamentares desistiram do aditamento, porque a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de suspender o rito definido por Cunha para eventuais processos de impeachment não permite aditamentos a pedidos já em tramitação.

Pagina 1 de 2
HomePolítica Ir para o Topo

Últimas Notícias

Rádio